Skip to main content

Este conjunto de dados geográficos representa os segmentos que integram o perímetro (interface) das áreas edificadas (2018), classificados em função da sua proximidade a manchas de combustível e da área de tais manchas (2021).
O coberto combustível foi identificado a partir da Cartografia de Ocupação do Solo simplificada – COSsim 2021, que é um produto raster (resolução espacial de 10 metros). A análise espacial desenvolvida sobre classes predefinidas da COSsim (isoladas ou agrupadas) possibilitou a identificação de quatro tipos/categorias de coberto combustível: Floresta Densa; Floresta Aberta; Matos; Vegetação herbácea espontânea.
Após subdivisão do perímetro de cada área edificada 2018 em segmentos de dimensão regular (25 metros), cada segmento foi classificado em função da sua proximidade a manchas de combustível e da área de tais manchas, num dos seguintes tipos de interface conjuntural:
• Direta: segmentos que possuem mancha(s) de coberto combustível de dimensão igual ou superior a 0.1 ha a uma distância igual ou inferior a 10 metros.
• Indireta 1: segmentos que não são interface direta e possuem mancha(s) de coberto combustível de dimensão igual ou superior a 0.1 ha a uma distância superior a 10 metros, mas igual ou inferior a 100 metros.
• Indireta 2: segmentos que não são interface direta nem indireta 1 e possuem mancha(s) de coberto combustível de dimensão igual ou superior a 1 ha a uma distância superior a 100 metros, mas igual ou inferior a 500 metros.
• Nula: segmentos que distam mais de 500 metros de uma mancha combustível.
A DGT produz atualmente dois tipos de Cartas de Interface de Áreas Edificadas: a estrutural e a conjuntural. Para além de pequenas diferenças metodológicas na sua produção, estas duas cartas diferem na fonte utilizada para identificação do coberto combustível. Na carta estrutural o coberto combustível é identificado através da Carta de Uso de Ocupação do Solo (COS) e na carta conjuntural o coberto combustível é identificado através da COS Simplificada (COSsim). Estas duas cartografias têm unidades mínimas cartográficas (UMC) diferentes, i.e. a COS tem uma UMC de 1ha e a COSsim de 0.1 ha, mas a principal diferença deve-se ao facto da COS ser uma cartografia de uso e ocupação do solo e a COSsim de ocupação do solo. Por exemplo, uma área de uso florestal na COS, pode ser classificada na COSsim como Matos ou Vegetação herbácea espontânea se nesse ano estiver temporariamente desarborizada.
Este conjunto de dados foi desenvolvido pela DGT no âmbito do projeto POSEUR-02-1810-FC-000504. Informação adicional sobre este conjunto de dados e os seus atributos está disponível em: https://geo2.dgterritorio.gov.pt/info/CartografiaAreasEdificadas2021_DGT_POSEUR_Visualizador_junho2022.pdf
Este conjunto de dados pode ser visualizado em: https://geo2.dgterritorio.gov.pt/areasedificadas
Para a utilização de serviços de visualização e descarregamento consultar os Guias de Apoio na página de dados abertos da DGT (https://www.dgterritorio.gov.pt/dados-abertos).

wms

Carta de Interface de Áreas Edificadas Conjuntural 2021

zip

Carta de Interface de Áreas Edificadas Conjuntural 2021

Discussões

Troca de mensagens ente a organização e a comunidade sobre este conjunto de dados. Utilize este formulário para interagir com os fornecedores de dados.

Recursos da comunidade

Se criou, ou pretende criar, uma interpretação diferente deste conjunto de dados (i.e. com colunas adicionais, outra ordenação, etc.), pode carregar o recurso e partilhá-lo nesta área.

Reutilizações

Reutilizou estes dados e publicou um artigo, uma infografia ou aplicação? Com uns cliques apenas, promova o seu trabalho e aumente a sua visibilidade.